Não é cadastrado, clique aqui!
Não é cadastrado, clique aqui!
Qual seu grau de confiança na economia brasileira?
Horrível. Não há luz no fim do tunel e a cada dia fica pior. Já perdi as esperanças!
Péssimo. Vai piorar, vai demorar a estabilizar e vai demorar muito até começar a dar sinais de melhora.
Bom. Estamos passando por turbulências mas em breve o país voltará a crescer.
Muito bom. O pior já passou e já está melhorando.
Excelente. Não há crise econômica.
Ruim. Acredito que pode melhorar mais vai demorar.
Sábado, 04 de julho de 2015
Esquerda
Direita
Share
Dicas Úteis
109069 pessoas já leram esta FAQ. 

Gastar muito é sinal de doença: ONIOMANIA

Comprar compulsivamente é sinal de doença. Estourar o orçamento repetidamente é um vício igual ao alcoolismo. A doença tem até nome: oniomania, aquele que necessita comprar assim o dependente químico necessita da droga. O desejo incontrolável de gastar tem tratamento: inclui acompanhamento psicológico e medicação. Mas é fundamental que a pessoa reconheça que está doente e precisa de ajuda.

Além de cortar todas as formas de crédito, como cheques e cartões de crédito, o ideal é que alguém da família ou um amigo próximo assuma o controle das finanças do paciente. Embora não exista dados estatísticos sobre a doença no Brasil, ela tem crescido bastante. Já existe até um grupo de auto-ajuda chamado Devedores Anônimos, que segue a mesma linha de atuação do Alcoólatras Anônimos.

Assim como todo dependente, os consumidores compulsivos demoram a admitir seu vício. No caso deles é particularmente difícil porque fazer compras é uma atitude bem vista e até incentivada pela sociedade. A causa do consumo compulsivo é uma conjunção de fatores biológicos e psicológicos. Ao mesmo tempo, com as compras, a pessoa tenta preencher "o buraco" provocado por problemas do dia-a-dia.

fonte: www.aprendiz.com.br

Oniomania atinge principalmente as mulheres

Segundo o neuropsicólogo Daniel Fuentes, coordenador de Ensino e Pesquisa do Ambulatório do Jogo Patológico e Outros Transtornos do Impulso (AMJO), do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, a proporção é de quatro mulheres para cada homem com a doença.

Os especialistas ainda não sabem precisamente o porquê da oneomania ser mais comum em mulheres, mas acreditam que o motivo está diretamente relacionado a condições culturais. Os fatores que levam a doença a afetar principalmente as mulheres são objeto de estudo da equipe do AMJO.

Para Fuentes, a doença pode estar associada a transtornos do humor e de ansiedade, dependência de substâncias psicoativas (álcool, tóxicos ou medicamentos), transtornos alimentares (bulimia, anorexia) e de controles de impulsos.

A oneomania também emerge para aliviar sentimentos de grande frustração, vazio e depressão. É um desejo de possuir, de ter poder, que fica reprimido. Ao não conseguir dar vazão ao seu desejo, a pessoa sofre uma enorme pressão interna que a leva à necessidade de possuir coisas novas como única forma de prazer, explica a psicóloga Denise Gimenez Ramos, coordenadora do Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica da PUC-SP.

Os oneomaníacos têm o consumo como vício, assim como um alcoólatra que necessita da bebida. Enquanto está comprando, a pessoa sente alívio e prazer dos sintomas, que passado um tempo voltam rapidamente. O efeito do ato de comprar é semelhante ao de tomar uma droga.

fonte: site do SERASA

Compradores compulsivos demoram a assumir seu problema

Assim como todos os dependentes, os compulsivos demoram a assumir seu problema. A idade média de início da doença é aos 18 anos, no entanto o comportamento só é percebido como problemático 10 anos mais tarde.

Uma pessoa pode passar anos comprando compulsivamente e adquirindo dívidas de até dez vezes a sua renda mensal, até perceber que sofre de uma doença. A ajuda só é procurada quando a situação financeira da pessoa e, na maioria das vezes, a de sua família, chega a uma condição insustentável.

Segundo especialistas, há tratamento para a oneomania, mas ainda não existe um remédio que combata o desejo compulsivo de comprar. Sabe-se que, atualmente, a melhor forma de se tratar pessoas com este problema é por meio da psicoterapia, além da necessidade de freqüentar grupos de auto-ajuda, como os Devedores Anônimos, concluem os especialistas.

fonte: site do SERASA

Devedores anônimos existem em São Paulo desde 1997

O grupo está no Brasil há quatro anos. Ele foi criado em abril de 1997 e tem como base a proposta dos Devedores Anônimos norte-americano e europeu.

O grupo presta serviços em São Paulo (Grande São Paulo, Pirituba, Mococa), Paraná e Rio de Janeiro e deve chegar a Minas Gerais e Bahia no próximo ano. Os encontros são semanais e duram, em média, 2 horas.

fonte: site do SERASA

Teste: como saber se você é um comprador compulsivo

Não resiste ao impulso de comprar?

Gasta mais que o planejado e se prejudica financeiramente?

Impede ou prejudica seus planos de vida e das pessoas à sua volta?

Precisa efetuar a compra de qualquer forma, independente do produto comprado?

Percebe que está comprando coisas que não usa ou usa muito pouco?

Assume dívidas acima de cinco vezes o valor de sua renda mensal?

Se a maioria de suas respostas foi SIM, você já aponta problemas com o hábito de comprar. No entanto, o diagnóstico exato só pode ser dado a partir de entrevistas com profissionais da área. Este teste é uma descrição dos sintomas mais comuns apresentados pelos compradores compulsivos e serve para indicar uma possível oniomania.

Fonte: Desenvolvido por coordenadores do Ambulatório de Jogos Patológicos e Outros Transtornos do Impulso (AMJO), do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas.
Comentários
55 comentários
Cadastre-se e receba notícias. É grátis!